TRANSPLANTE
Na Paraíba, 700 pessoas aguardam na fila por transplante de órgãos

Publicado em 27/09/2017 13:43

Na Paraíba, 700 pessoas aguardam transplante de órgãos, segundo dados do Governo do Estado. No Dia Nacional da Doação de Órgãos, lembrado nesta quarta-feira (27), a Central de Transplante revela que o número de doadores ainda é pequeno no Estado e que é preciso aprimorar a captação.

Em entrevista ao programa Rádio Verdade, da Rede Arapuan de Rádios, a diretora da Central de Transplantes, Gyanna Lys Montenegro, explicou que o número de pessoas que estão na fila é compatível com outros estados.

Segundo ela, existe uma campanha permanente de educação para incentivar a doação de escolas e orientações para profissionais da área médica sobre morte encefálica, primeiro passo para a captação dos órgãos.

“Aquele que está morto pode dar oportunidade de vida a várias pessoas. Por isso é necessário trabalhar na verificação da morte encefálica”, explicou.

Ela afirma que a cirurgia de captação de órgãos é feita como qualquer outra e não causa deformidades ao corpo do doador.

Qualquer hospital que identifique um possível doador e que possar dar o diagnóstico de morte encefálica, pode comunicar a Central de Transplante para que seja feita a captação do órgão.

“A partir do momento que nós temos a notificação, a Central se dirige ao hospital e oferece à família a oportunidade de doar. Também fazemos diariamente uma busca ativa nos hospitais e no Gmol para possíveis doadores”, afirmou.

Com o tema ‘Doar órgãos é amar sem medida’, a Central de Transplantes realiza a 17ª Campanha Estadual para Doação de Órgãos e Tecidos até o próximo sábado (30).

Para o presidente da Associação dos Pacientes Renais, Carlos Roberto, a estrutura do sistema de transplantes teve uma queda de qualidade. Segundo ele, atualmente apenas o Hospital de Emergência e Trauma e o da Unimed estão habilitados para a captação de órgãos.


Postado por Mais PB

©Copyright 2017 Todos os direitos reservados

CONEXÃODEBATE.com.br